Porquê a verdegaia?

A verdegaia surgiu de uma necessidade cívica em abordar a realidade do Concelho em que vivemos, o seu património cultural e ambiental, o seu património humano e associativo. Constituiu-se formalmente a 8 de Maio de 2010, depois de um trabalho preparatório de vários meses de reflexão e constituição de um grupo informal, que viria a reunir-se em Assembleia Geral para a eleição dos seus órgãos. Com a verdegaia contribuiremos para um património mais seguro e valorizado em Vila Nova de Gaia.

A NOSSA MISSÃO

Somos um grupo de cidadãos mobilizados em torno do Estudo, Defesa e Divulgação do Património Cultural e Ambiental de Vila Nova de Gaia.

Temos consciência da importância do legado das pessoas que aqui habitaram durante séculos.

Identificamo-nos com o mesmo espaço socio-territorial e partilhamos a mesma vontade de construir um futuro sustentado.

Desejamos intervir de acordo com as nossas múltiplas competências, de modo a sermos úteis na comunidade em que nos inserimos.

A NOSSA VISÃO

Temos uma visão do mundo que atribui ao Homem uma importância fundamental na construção do seu futuro.

Sabemos que as forças do progresso são múltiplas e que nem sempre é possível conciliar as suas dinâmicas.

Às organizações estatais e autárquicas compete identificar essas tensões e decidir segundo o interesse comum, de acordo com o mandato que lhes é conferido.

Entendemos, porém, que cabe também aos cidadãos, organizados das mais diversas formas, a responsabilidade de se mobilizarem para encontrar espaços de diálogo e de convergência em torno das questões que directa ou indirectamente os afectam.

Consideramos o Património Cultural e Ambiental de Vila Nova de Gaia como uma riqueza nem sempre suficientemente valorizada dentro e fora do seu perímetro geográfico.

Propomo-nos intervir, através de acções concretas, para identificar o património que, por inércia dos homens, permanece incógnito, e que urge, por isso, expor publicamente, para ser transmitido condignamente às gerações futuras, bem como sensibilizar e alertar para o património ameaçado que importa defender.